Nova Publicação: biodiversidade de microrganismos em aerossóis da floresta amazônica

Já é sabido que aerossóis são relevantes para o clima porque, por exemplo, contribuem para a formação de nuvens. No entanto, os aerossóis naturais e biológicos emitidos pelas plantas servem outro propósito importante. Eles ajudam a dispersar microrganismos vivos pelo mundo todo, afetando sua distribuição. No entanto, pouco se sabe sobre os bioaerossóis emitidos por florestas intocadas como a Amazônia. E menos ainda sobre a diversidade dos microrganismos nos aerossóis.

Felipe Souza e coautores agora coletaram bioaerossóis no local onde se situa o ATTO. Depois, extraíram e analisaram o DNA para determinar as comunidades presentes. Este foi o primeiro estudo que descreveu a comunidade de microrganismos em aerossóis na Amazônia. Eles encontraram muitos tipos diferentes de bactérias e fungos. Alguns eram distribuição cosmopolita, mas também identificaram muitos que são particulares a determinados ambientes, como o solo ou a água. Isso sugere que a atmosfera pode atuar como um importante portal de troca de bactérias entre plantas, solo e água.

Os resultados também revelam que a principal fonte de bioaerossóis emitida pela floresta amazônica são organismos conhecidos por dispersar seus esporos pela atmosfera: fungos e bactérias. Sabe-se que esses grupos de organismos podem produzir enzimas e metabólitos, incluindo antibióticos. Encontrá-los na vasta área selvagem da Amazônia, no entanto, é difícil. A análise de aerossóis florestais pode ser uma maneira de localizá-los para o potencial uso em aplicações biotecnológicas.

Souza et al. publicou este artigo como um artigo curto em Science of the Total Environment.

Dias‐Júnior et al. (2019) analysed prokaryotic diversity from DNA in the Amazon
Graphic Abstract from Souza et al. (2019)