Home

Bem-vindo

Bem-vindo ao nosso site do ATTO, o Observatório da Torre Alta da Amazônia – um projeto de pesquisa da Amazônia.

Esse local de pesquisa se encontra no meio da floresta amazônica no norte do Brasil, cerca de 150 quilômetros ao norte de Manaus. Ele é gerido em conjunto por cientistas da Alemanha e do Brasil. O objetivo é registrar continuamente dados meteorológicos, químicos e biológicos, como a concentração de gases de efeito estufa. Com a ajuda desses dados, esperamos obter novas perspectivas sobre como a Amazônia interage com a atmosfera acima e o solo abaixo. Como a região é de supra importância para o clima mundial, entender melhor esses processos complexos é essencial. Só então seremos capazes de fazer previsões climáticas mais precisas.

Dê uma olhada no nosso site para saber mais sobre a pesquisa realizada no ATTO e nos laboratórios e escritórios ao redor do mundo. Por favor, repare que nosso site ainda está em construção e mais conteúdo será adicionado. Não se esqueça de conferir em breve! Você também pode nos seguir nas redes sociais para obter mais informações sobre o dia-a-dia dos cientistas do ATTO e se manter atualizado sobre as últimas notícias e eventos.

Notícia mais recente

Ramsay et al. desenvolveram um novo modelo para avaliar a troca de nitrogênio entre a atmosfera e a biosfera com base em observações na ATTO. Este modelo inclui parâmetros que controlam tanto a deposição de nitrogênio quanto as emissões nas florestas tropicais.

Blog mais recente

My name is Maryam and I am currently working as a research data manager at MPI-BGC. I have a background in geophysics and lots of prior experience with data management so that I can now take care of the ATTO data portal.

Notícias

O crescimento das árvores Nectandra amazonum (Lauraceae) nas várzeas da Amazônia Central não responde às inundações anuais de longo prazo, e sim à variação da temperatura mínima e à evapotranspiração.

Os compostos orgânicos voláteis biogênicos removem o OH da atmosfera por meio de reações químicas, que afetam processos como a formação de nuvens. Em um novo estudo, Pfannerstill et al. revelam as contribuições importantes de espécies de COVBs anteriormente não consideradas e COVs subestimados para a reatividade total de OH.

A próxima newsletter está aqui! A edição de fevereiro de 2021 inclui resumos de muitas publicações novas, algumas informações sobre a próxima EGU virtual e muitos de nossos formatos regulares.

O episódio 5 da nova série de cinco partes da

Embora localizada nos trópicos, a Amazônia experimenta esporadicamente incursões de ondas frias chamadas eventos de friagem. Elas impactam significativamente os padrões meteorológicos durante o tempo em que ocorrem, causando, por exemplo, uma queda de temperatura e aumento da nebulosidade. Guilherme Camarinha-Neto e seus colegas descobriram agora que eles também afetam a química atmosférica.

The majority of global precipitation is formed through the pathway of ice nucleation, but we’re facing large knowledge gaps that include the distribution, seasonal variations and sources of ice-nucleating particles. To fill some of those knowledge gaps, Jann Schrod and his co-authors produced a record of long-term measurements of INPs. They collected data for nearly two years at four different locations. One of those sites was ATTO.

Blog: vozes da Amazônia

O blog está apenas em inglês.

Hello everyone, my name is Frederik Lange. I started recently as a Ph.D. student at the Max Planck Institute for Biogeochemistry in Jena. Here, I work in the Molecular Biogeochemistry group with Gerd Gleixner as my supervisor.

Hello everyone, my name is Jeová Ramos da Silva Junior. I am a meteorologist and had my first contact with ATTO at the beginning of my master’s degree in 2017. During this period, I investigated how biomass burning might affect photosynthesis inside the canopy of the Amazon Rainforest.

Hello! My name is Camila Lopes. I’m a meteorologist working in the ATTO Project since 2020. It is part of my Ph.D. studies at the University of São Paulo, Brazil, under the supervision of Prof. Rachel Albrecht. I’m involved in a project to study the lifecycle of clouds and aerosols in the Amazon by measuring their properties in several locations. One of these locations includes the ATTO Tower and a new site assembled about 4-km away from the tower. The site is called "Campina", which means "meadow" in Portuguese.

Shujiro Komiya is a postdoc at MPI-BGC. He got his degrees at Meiji University in Tokyo and has a background in studying greenhouse gas dynamics in rice paddy fields. He now applies this in the Amazon rainforest at ATTO.

Eva Pfannerstill remembers her time in the ATTO project, and what it was like to perform research at a remote site in the Amazon Rainforest. The article was first published on EGU Blogs.

Este ano, estamos comemorando os aniversários de dois marcos na ATTO. Nossa torre alta está comemorando seu quinto aniversário amanhã. Em 15 de agosto de 2015, ela foi oficialmente inaugurada. Entretanto, as medições na estação já começaram em agosto de 2010 em duas torres menores. Desde então, o observatório continuou a crescer. Agora mais de 200 cientistas em todo o mundo participam deste projeto interdisciplinar de pesquisa climática na Amazônia.