Nova publicação: Variabilidade das concentrações de fuligem

Atualmente, estamos no meio da estação das secas na bacia central da Amazônia, onde o ATTO está localizado. Esta época do ano é sempre caracterizada por muitas queimadas de biomassa, naturais e antropogênicas. Incêndios produzem aerossóis, como fuligem. Mas a situação não é a mesma todos os anos.

Nossos pesquisadores estudaram a concentração de partículas de aerossóis absorventes de luz no ATTO durante um período de 5 anos, de 2012 a 2017. Eles descobriram que a concentração de aerossóis aumentou significativamente durante o El Niño de 2015-2016. Durante esse período, a estação das secas durou mais que o normal e os incêndios florestais e agrícolas ocorreram com muito mais frequência em comparação a outros anos. Os incêndios produzem grandes quantidades de fuligem. Eles têm a capacidade de absorver a radiação, que tem dois efeitos importantes: primeiro, aquece a atmosfera e, segundo, menos radiação é capaz de atingir o dossel e o chão da floresta, afetando a produção primária da floresta. Isso significa que uma mudança climática para condições mais quentes e mais secas e El Niños potencialmente mais fortes e mais frequentes pode afetar a floresta amazônica no futuro.

O primeiro autor Jorge Saturno acaba de publicar o estudo na Atmospheric Chemistry and Physics (ACP) Edição 18. Está disponível no Open Access e, portanto, disponível gratuitamente para todos.